Você sabia que o mau hálito tem tratamento?

Conviver com uma pessoa que tem mau hálito não é fácil. Mais difícil que a convivência, é alertar que ela está com esse tipo de problema.
Você gostaria de avisar um amigo, sem que ele saiba que foi você?

Avise o amigo


Consultório Odontológico Dr. Luciano Teodoro Telefone: 47 3340-0303
Quer saber mais sobre o assunto? Clique aqui

Mau Hálito

A Halitose, mais conhecida como Mau hálito não é considerado uma doença, mas alerta para um problema de saúde ou a presença de uma patologia. No caso de Halitose Crônica é preciso um diagnóstico correto para assim realizar um tratamento adequado.

Segundo a Associação Brasileira de Halitose, o Mau hálito pode provocar sérios prejuízos pessoais e emocionais, os problemas mais comuns e relatados são: insegurança ao se aproximar das pessoas ou ao falar, depressão, dificuldade em estabelecer relações amorosas e afetivas, resistência ao sorriso, ansiedade, baixo desempenho profissional e / ou estudantil, queda da auto-estima e auto-confiança, além de outros fatores comprometedores.

Avisar uma pessoa que tem Mau Hálito é ajudar ela a dar o primeiro passo para o tratamento.

Principais causas do mau hálito

A Halitose atinge cerca de 30% da população no Brasil e existem cerca de 60 causas distintas, por este motivo o mau hálito tem característica multifatorial, mesmo considerando que mais de 90% dos casos são de origem bucal, acompanhada ou não de alterações sistêmicas.

As halitoses podem ser de origem fisiológica (hálito da manhã, jejum prolongado, dietas descontroladas ou alimentação inadequada), devido a razões locais, como má higiene bucal, placas bacterianas retidas na língua (saburra lingual) ou amídalas, baixa produção de saliva, doenças da gengiva, problemas em vias aéreas (adenóides, rinites, sinusites...), estresse ou mesmo por razões sistêmicas, dentre elas diabetes, problemas renais ou hepáticos, prisão de ventre acentuada e outros.

Mau hálito NÃO vem do estomago

A halitose proveniente do estômago é uma condição rara, embora a maioria das pessoas acredite ter halitose porque sofre com gastrite. Normalmente, o mau hálito pode ser atribuído ao estômago apenas em duas situações básicas: eructação gástrica, ou arroto, e refluxo gastroesofágico, quando há uma deficiência no funcionamento da válvula que separa o esôfago do estômago.

Este mito é antigo e originou-se devido a ingestão de alimentos que alteram o hálito ou por longos períodos de jejum. Entretanto, nestes casos, a alteração do hálito ocorre através do ar expirado pelos pulmões, devido aos componentes mal cheirosos presentes nos alimentos que provocam mau hálito e pela hipoglicemia (nível baixo de açúcar no sangue, que provoca a halitose). Estas alterações são passageiras e não são consideradas halitose crônica.

COMO PREVENIR O MAU HÁLITO?

A prevenção é o melhor meio de evitar o mau hálito, lembrando que para uma boa prevenção é indispensável as visitas regulares ao dentista.

HIGIENE BUCAL

Escovar os dentes todos os dias todo mundo sabe, agora como fazer essa escovação correta e de maneira eficaz poucos sabem.

A escovação noturna, a última escovação do dia, é a mais importante, porque durante o sono temos uma produção muito baixa e quase zero de saliva, uma higiene incompleta permite que bactérias responsáveis pelo mau hálito e outras doenças bucais se reproduzam.

Uma higiene completa é feita em 4 etapas: 1ª. Fio dental, 2ª. Escovação dos Dentes, 3ª. Raspagem da Língua, 4ª. Bochecho



ALIMENTAÇÃO

Com o intuito de pontuar alguns desses erros, que podem ser cometidos durante a escolha dos alimentos para as refeições, o vice-presidente da ABHA (Associação Brasileira de Halitose), Marcos Moura, lista algumas dietas e hábitos que devem ser evitados no combate ao mau hálito.

1. Evite dietas ricas em proteínas
2. Evite frutas e vegetais ricos em sacarose
3. Evite alimentos ácidos
4. Troque frutas muito doces por cítricas
5. Não coma com pressa
6. Canela, menta e gengibre só mascaram o hálito
7. Brócolis, couve e repolho são inimigos do hálito

Dúvidas frequentes

Você tem dúvidas? Nós temos as respostas.

Como faço para saber se eu tenho mau hálito?

A melhor maneira é perguntar para uma pessoa próxima se você tem mau hálito. Pessoas que tem mau hálito não sabem que tem e a pergunta é a melhor maneira de descobrir. O auto exame da língua e importante para saber se você possui saburra lingual (placa branca sobre a língua) que é uma das principais causas do mau hálito. Raspar o fundo da língua com uma gaze, sentindo seu odor após 01 minuto e verificando o odor, pode dar positivo, mas você pode não ter halitose crônica.

Ir em um consultório especializado submetendo-se a um aparelho para medir a concentração de gases derivados de enxofre no seu hálito é o exame mais preciso.

Por que a falta de saliva compromete o hálito?

A saliva funciona como um detergente bucal. Se for de boa qualidade, ela conduz as bactérias para o aparelho digestivo, portanto impede que fiquem estagnadas na boca. Vários fatores podem reduzir a salivação, como certos medicamentos (alguns antidepressivos), estresse (o nervosismo deixa a boca seca) e hábitos alimentares (como trocar refeições por shakes). Eles dispensam a mastigação, que é um estímulo para as glândulas salivares trabalharem.

Mascar cravo, gengibre, chiclete, chupar bala mentolada e fazer bochechos produz alívio?

O risco é se tornar refém desses recursos, já que eles apenas mascaram o hálito por alguns minutos. Ou pior, prejudicar ainda mais o quadro caso contenham açúcar ou virem substitutos à higienização correta. O melhor é pesquisar a causa e iniciar o tratamento adequado.

Já consultei vários profissionais sem ter a solução para o meu problema. Halitose tem tratamento?

Claro que tem tratamento. Às vezes, atingir a solução definitiva demanda um pouco mais de tempo, mas sempre existe a possibilidade de controle. A maior parte das pessoas crê que qualquer dentista está amplamente informado e qualificado para o tratamento do mau hálito, o que nem sempre é verdade. O mesmo pode-se dizer em relação aos médicos. O atendimento nessa área é diferente do atendimento odontológico de rotina, necessitada de equipamentos e conhecimento especifico para o tratamento.

Você gostaria de avisar um amigo, sem que ele saiba que foi você?